Popular Tags:

Governo dos EUA rescinde determinação para que estudantes estrageiros com aulas 100% on-line deixem o país

14 de julho de 2020 at 16:48

Departamento de Imigração e Alfândega dos EUA anunciou a decisão no momento em que se iniciava uma audiência para julgar ação contra o decreto, movida pela Universidade de Harvard e pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts.

Por G1

Foto de 2019 mostra alunos perto da biblioteca Widener, na Universidade Harvard, nos EUA — Foto: Charles Krupa/Arquivo/AP Photo

Foto de 2019 mostra alunos perto da biblioteca Widener, na Universidade Harvard, nos EUA — Foto: Charles Krupa/Arquivo/AP Photo

O governo dos Estados Unidos rescindiu nesta terça-feira (14) uma determinação que exigiria que estudantes estrangeiros matriculados em instituições com aulas 100% on-line deixassem o país ou se mudassem para escolas ou universidades com ensino presencial.

O Departamento de Imigração e Alfândega dos EUA anunciou a decisão no momento em que se iniciava uma audiência para julgar uma ação contra a regra, movida pela Universidade de Harvard e pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts, segundo a agência Associated Press.

A determinação havia sido anunciada em 6 de julho e valeria para estudantes com os vistos F-1 e M-1 a partir da retomada do ano letivo, geralmente em setembro. Caso esses estrangeiros não se adequassem à determinação, as autoridades imigratórias dos EUA poderiam aplicar sanções que incluiríam a remoção ao país de origem.

“Caso estudantes se vejam nessa situação, eles devem deixar o país ou tomar medidas alternativas para manter o status de não imigrante, como uma carga horária reduzida ou apresentar atestado médico apropriado”, dizia o comunicado do departamento de Imigração e Alfândega dos EUA naquela data.

No caso de escolas com aulas presenciais e à distância, o governo dos EUA permitiria que apenas alunos com visto F — visto para cursos acadêmicos — pudessem cursar uma ou mais disciplinas on-line, desde que não fosse o curso inteiro.

Essa flexibilidade não valeria para estrangeiros com o visto M (para educação profissionalizante) ou que estivessem no país para estudar inglês. Nesses casos, os estudantes deveriam fazer todas as aulas presencialmente.

Por causa da pandemia, os EUA vêm restringido a emissão de vistos e a permissão de entrada de estrangeiros provenientes de determinados países. No fim de maio, o Brasil entrou na lista.

Ação coletiva

Menos de uma semana após o anúncio, o decreto do presidente Donald Trump foi desafiado na Justiça por 17 estados e pelo Distrito de Columbia, onde fica a capital do país, de acordo com o jornal “The New York Times”.

A regra forçaria muitos estudantes a voltar para seus países de origem no meio de uma pandemia, e a capacidade para estudar seria gravemente comprometida, de acordo com o processo.

O processo foi protocolado em um corte da cidade de Boston.

Universitários estrangeiros nos EUA - Brasil é o 10º país com mais estudantes no país — Foto: Arte/G1

Universitários estrangeiros nos EUA – Brasil é o 10º país com mais estudantes no país — Foto: Arte/G1

FLAMENGO

14 de julho de 2020 at 15:53

Advogada apontada como amante do técnico Jorge Jesus desabafo na internet

Com informações do portal Meia Hora

 Reprodução

A advogada Ana Paula Belinger usou as redes sociais, nesta terça-feira (14), para se pronunciar após ser apontada como amante do treinador do Flamengo, o Jorge Jesus, pelos torcedores do time. Vale lembrar que ele é casado e, segundo boatos, caso extraconjugal teria sido descoberto pela esposa.

Sem citar nomes, ela nega que a informação seja verdadeira, e acrescenta que vem sendo “covardemente caluniada e agredida nas redes sociais”.

A torcida rubro-negra acredita, ainda, que a possível saída de Jorge Jesus do Flamengo não tenha muito a ver com dinheiro ou qualquer questão profissional e, sim, pela vida pessoal.

Nas redes sociais, começaram a circular várias fotos em que o treinador aparece ao lado da advogada, que cuida da parte jurídica do português no Brasil.

“Nas últimas 24h eu venho sendo covardemente agredida e caluniada nas redes sociais. Por um momento eu pensei em bloquear meu Instagram, encerrar minhas contas nas redes sociais, mas eu pensei em quantas mulheres são violentadas diariamente, não só fisicamente, mas moralmente também. E eu decidi que o meu Instagram e todas as minhas redes ficarão públicas, como elas sempre foram, porque eu quero que a nossa sociedade perceba o quanto a gente ainda é machista. O quanto uma mulher como eu, que trabalha, que é independente e quer sim ter o seu lugar no mundo é subjugada. Eu não vou permitir isso. Não vou me acovardar como essas pessoas que têm me agredido têm feito”, disse advogada Ana Paula em seu desabafo. 

Veja o vídeo:Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Belinger Consultoria Jurídica (@belingerconsultoria) em 14 de Jul, 2020 às 3:19 PDT

MPF cobra esclarecimento de deputada que relacionou pessoas LGBT à pedofilia

14 de julho de 2020 at 15:38

Por Larissa Calixto sobre brasil

congresso em foco

Deputada Chris Tonietto (PSL-RJ)

O Ministério Público Federal deu 30 dias para que a deputada Chris Tonietto (PSL-RJ) preste esclarecimentos sobre uma postagem feita no dia 12 de junho em que relacionou o crime de pedofilia a pessoas LGBTQIA+ e aos movimentos ligados a equidade de gênero e direitos sexuais.

A deputada deve comprovar as bases científicas da sua afirmação e, caso não consiga embasar cientificamente seus argumentos, ela deve se retratar sobre a informação divulgada nas redes sociais.

As recentes notícias acerca de investigações policiais sobre casos de pedofilia levam-nos a refletir novamente a…

Publicado por Chris Tonietto em Sexta-feira, 12 de junho de 2020

Na decisão, o MPF considera que a Constituição Federal de 1988 defende a construção de uma sociedade livre, justa, solidária sem sem preconceitos. No entendimento do órgão a expressão “teoria de gênero” foi utilizada pela deputada na postagem “de forma vaga, imprecisa e descontextualizada para designar indiscriminadamente toda e qualquer intervenção teórica concernente ou alusiva aos estudos de gênero, de modo a produzir pânico moral com o objetivo de obstaculizar o reconhecimento de direitos sexuais e equidade de gênero como consectários da dignidade da pessoa humana”.

O MPF afirma ainda que a maior parte dos casos de violência sexual infantil vem de agressores dentro do contexto familiar ou ambiente doméstico. A postagem, segundo o MP, induz falsamente a opinião pública a acreditar que pessoas LGBTQIA+ estariam propensas a este tipo de crime, o que aumenta o preconceito e o estigma contra esta população.

Veja decisão na íntegra:

Congresso em Foco tentou contato com a assessoria da parlamentar, mas até o momento da publicação não obteve resposta. A matéria será atualizada caso a parlamentar se posicione sobre o assunto.

DEU RUIM!

14 de julho de 2020 at 14:47

Mulher morre após sexo sadomasoquista dar errado

Redação DOL

 Reprodução

Uma mulher russa foi encontrada morta em uma poça de vômito, após uma sessão de sexo sadomasoquista com o marido provavelmente ter dado errado.

As informações são do Daily Star.

Anastasia Filatova, de 30 anos, tinha um estúdio de gravação de filmes pornográficos estilo “BDSM” (sadomasoquista), em São Petersburgo. Acredita-se que ela morreu durante uma das sessões de sexo “pesado” com o marido, de acordo com o site de notícias 78.

O homem foi libertado sob fiança e está sendo investigado sobre as circunstâncias da morte da esposa, bem como ajudando a polícia a esclarecer o caso. Ele chamou a ambulância na manhã seguinte e diz que não havia percebido que a mulher havia morrido em algum momento, ou durante a sessão de sexo, segundo informações.

Veja mais

Uma amiga da vítima confirmou ao site de notícias 78 que o casal decidiu passar a noite no estúdio BDSM e o marido chamou uma ambulância na manhã seguinte. A morte de Filatova foi confirmada pelos paramédicos assim que eles chegaram ao local.

De acordo com a amiga, que não quis ser identificada, a vítima foi encontrada em uma poça de vômito e a causa da morte pode estar relacionada a várias razões, como a máscara que ela usava, um coágulo de sangue rompido ou um aneurisma. Ela também disse que Anastacia pode ter sido acidentalmente estrangulada até a morte pelo marido, o que está sendo investigado pela polícia.

“Precisamos entender que, se ela tivesse sido estrangulada, ficaria claro quando a ambulância chegasse”, disse a amiga, que acrescentou que a vítima sabia tudo sobre as medidas de segurança necessárias para as práticas eróticas e já havia até ministrado um seminário sobre o assunto.

Eles eram casados há três anos e tinham um filho. A amiga disse que o marido era atencioso e “sempre monitorava” a saúde da esposa durante a gravidez.

A polícia investiga o caso.

Vereador é acusado de espancar a própria filha na Bahia: ‘ele é um monstro’… –

14 de julho de 2020 at 14:09

Alexandre Santos

Colaboração para Universa, em Salvador

Rafaella de Carvalho Pereira acusa o pai, que é presidente da Câmara de Vereadores de Campo Formoso, de agressão - Reprodução / Instagram

Rafaella de Carvalho Pereira acusa o pai, que é presidente da Câmara de Vereadores de Campo Formoso, de agressãoImagem: Reprodução / Instagram

A Polícia Civil da Bahia abriu um inquérito para investigar denúncia feita por uma universitária de 18 anos que relata ter sido espancada pelo próprio pai, que é presidente da Câmara de Vereadores de Campo Formoso, cidade a cerca de 400 quilômetros de Salvador. Segundo a vítima, as agressões teriam ocorrido no domingo (12), na casa de familiares, localizada em um povoado do município. Em entrevista a Universa, Rafaella de Carvalho Pereira confirmou que registrou ontem um boletim de ocorrência contra José Carvalho Pereira, conhecido no meio político como “Zé Lambão” (PSD). O parlamentar responde em liberdade acusação por crime de homicídio em 2016.

Após prestar depoimento na DT (Delegacia Territorial) de Senhor do Bonfim, cidade vizinha a Campo Formoso, a estudante de medicina passou por exames de corpo de delito e pediu à Justiça uma medida protetiva de emergência. Dentre outras restrições, o instrumento da Lei Maria da Penha prevê que o agressor não poderá se aproximar da vítima de violência doméstica — nesse caso, Rafaella. A reportagem de Universa tentou ouvir o vereador sobre as acusações formalizadas por sua filha, mas não conseguiu localizá-lo até a publicação desta matéria. As ligações não foram atendidas, e as mensagens pelos Instagram não foram respondidas. Pedido de ajuda em rede social As denúncias de Rafaella … –

A reportagem de Universa tentou ouvir o vereador sobre as acusações formalizadas por sua filha, mas não conseguiu localizá-lo até a publicação desta matéria. As ligações não foram atendidas, e as mensagens pelos Instagram não foram respondidas. Pedido de ajuda em rede social As denúncias de Rafaella foram feitas em vídeos e fotos publicadas em seu Instagram Imagem: Reprodução / Instagram As agressões das quais Rafaella afirma ter sido vítima foram denunciadas por meio de vídeos e fotos publicados em seu Instagram. Em uma das postagens, ela relata que tudo começou quando conversava com o pai sobre sua faculdade…. –

“Não foi nem uma discussão. A gente estava numa roça, com toda a minha família, e ele foi e comentou sobre a faculdade, falou que eu não iria consegui terminar. Nisso eu fiquei muito chateada, comecei a chorar e pedi para uma amiga me buscar. E aí eu falei com a minha madrasta para me deixar na cidade do lado. Aí ele se estressou porque eu estava chorando, me trancou no quarto e fez isso comigo”, disse a universitária, com a voz embargada. Pelas imagens, é possível ver um inchaço e um coágulo vermelho no olho, além de escoriações no pescoço, braço e mão. Ainda de acordo com o relato de Rafaella, essa não foi a primeira primeira vez que seu pai a teria agredido. Segundo contou, ele tentou afogá-la em uma piscina, quando ela tinha 14 anos. Agressão a ex-mulher e prisão por morte de homem Rafaella revela que sua mãe, hoje separada de Pereira, também já foi vítima de violência. “Na verdade, eu esperava [ser agredida]. Eu vivi 18 anos vendo ele fazendo isso com a minha mãe a vida inteira, porque ele é um monstro, ele é um lixo. Hoje [domingo] aconteceu comigo por conta de uma discussão”, desabafou ela…. –

Diferentemente da mãe, Rafaella resolveu denunciá-lo. “Ele fez isso a vida inteira com minha mãe, e eu decidi não me calar: não deixar ele fazer o que fez comigo e fez com outras pessoas”, acrescentou. Ela diz que em 2016 o pai foi preso suspeito de matar um homem que havia cobrado uma promessa de campanha dele. Um mês depois, Pereira acabou sendo solto e, desde então, responde ao processo em liberdade. “Ele é um assassino”, acusa Rafaella. A universitária relata que, mesmo depois de tornar o caso público, o pai mandou mensagens para intimidá-la. “Ele acha que pode sair impune porque tem dinheiro. Ele não tem como contar a versão dele, porque ele não tem o que falar.”…

TRAGÉDIA

14 de julho de 2020 at 12:42

Homem mata ex-mulher, atira em crianças e comete suicídio em altar de igreja

 Com informações CM7

Tudo aconteceu na noite de domingo (12), em Dourados. Uma das crianças está em estado grave.

Tudo aconteceu na noite de domingo (12), em Dourados. Uma das crianças está em estado grave. | Divulgação

Uma tragédia aconteceu no último domingo (12), quando um vigilante de 52 anos, que não teve a identidade revelada, matou a ex-mulher e atirou em mais quatro pessoas, entre elas duas crianças. O caso aconteceu em Dourados, a 210 quilômetros de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. 

De acordo com a polícia, as vítimas estavam em frente à uma residência quando o homem chegou atirando. A mulher, de 51 anos, morreu no local e quatro pessoas foram socorridas, entre elas duas crianças, de 3 e 5 anos. O estado de saúde da mais velha é considerado grave.

Após o crime, o homem foi até outro bairro da cidade e atirou em uma mulher de 47 anos, que ficou ferida, em seguida ele atirou contra a residência de um advogado. Logo depois, o homem entrou em uma igreja católica e no altar, tirou a própria vida. O momento aconteceu quando a hóstia era distribuída em sistema drive-thru.

JULIANA LOHMANN

14 de julho de 2020 at 09:15

Atriz ex-Globo e Record diz ter sido estuprada por diretor famoso 

 Com informações de UOL

Atriz Juliana Lohmann revela ter sido estuprada por diretor aos 18 anos.

 Atriz Juliana Lohmann revela ter sido estuprada por diretor aos 18 anos. | Reprodução

A atriz Juliana Lohmann fez sua primeira aparição na TV aos 11 anos e passou a adolescência nos bastidores das novelas. Aos 18, foi vítima de um estupro e só hoje, aos 30, entende que não foi culpada pelo crime.

Em depoimento à revista Claudia, ela conta que o agressor foi “um famoso” do cinema, que a convidou para fazer teste para um novo filme.

A atriz, hoje com 30 anos, afirma que precisou "insistir" para que o homem ao menos usasse camisinha antes da agressão - Reprodução/Instagram

A atriz, hoje com 30 anos, afirma que precisou “insistir” para que o homem ao menos usasse camisinha antes da agressão. Imagem: Reprodução/Instagram

“Ele me ligou e me chamou diretamente. Era em São Paulo e eu sou do Rio de Janeiro. Perguntei se podia levar minha mãe. Não, ele não poderia pagar mais uma passagem. Pediu desculpas. Fui mesmo assim. Era a primeira vez que viajava sozinha, me senti uma desbravadora de novos horizontes”, lembra. Juliana e o agressor se encontraram, por sugestão dele, em um quarto de hotel.

Os dois passaram o texto algumas vezes, até que o homem sugeriu que ela fumasse maconha. “Ele concluiu que a personagem exigia ‘mais loucura’. Fiquei reticente, mas acabei aceitando. Dizer não para um diretor não é algo que uma atriz de dezoito anos sabe exatamente fazer. 

“Ele concluiu que a personagem exigia ‘mais loucura’. Fiquei reticente, mas acabei aceitando. Dizer não para um diretor não é algo que uma atriz de dezoito anos sabe exatamente fazer. Um trago foi o suficiente pra que eu ficasse completamente chapada. Em determinado momento, percebi que o contato que ele fazia comigo excedia o profissional.”

A atriz lembra de ter sido beijada e, na sequência, ter dito que não queria aquilo. Ela conta que foi “uma completa surpresa” e que, aos 18 anos, “não fazia a menor ideia de que seria atraente para um homem como ele”.

O diretor alegou que nada havia sido premeditado, que estava ali de forma “estritamente profissional”, mas que Juliana “o havia encantado”. Na sequência, a imobilizou e disse que, se a jovem gritasse, ninguém ouviria. “Pensei em gritar mesmo assim, mas, se alguém escutasse e fosse me socorrer, seria um escândalo. Todos iriam saber que eu estava ali, com aquele homem casado e famoso em seu apart hotel. O que eu tinha ido fazer lá? Eu tinha me colocado naquela situação. Tinha aceitado viajar sem minha mãe, tinha fumado maconha com essa pessoa. Eu tinha provocado”, conta.

Juliana afirma que precisou “insistir” para que o homem ao menos usasse camisinha. “De trás do quadro ele retirou um saco plástico com alguns preservativos. Aquilo me deu a sensação de que eu não era a única pela qual ele ‘tinha se encantado’. Colocou a proteção, mas retirou logo em seguida, ejaculando dentro de mim”, lembra. Em seguida, o diretor pediu que ela dormisse com ele. Na manhã seguinte, a atriz foi estuprada mais uma vez e ouviu, do agressor, que ela o havia lançado um “olhar de desejo”, que ela era “uma delícia” e que ele iria “querer mais”. “No dia seguinte, de manhã, fui acordada por seu membro invadindo minha vagina. Lembro de ficar na mesma posição, deitada de lado, e apenas enfiar meu rosto no travesseiro pra que ele não percebesse as lágrimas que caíam sem controle. Ele ejaculou dentro, de novo”, relatou.

O diretor ressarciu Juliana do valor da passagem e disse que o teste não aconteceria mais por falta de disponibilidade dos produtores. Anos depois, quando contou sobre o episódio para um namorado, a atriz ouviu que, se realmente não quisesse ter uma relação sexual, “teria jogado um abajur na cara do sujeito”.

“Faz muito pouco tempo que tive a certeza de que de fato nunca houve teste nenhum a ser feito em São Paulo. Eu passei doze anos, quase metade da minha vida até aqui, na dúvida. Eu me questionei se realmente eu não quis, me questionei se de fato não foi premeditado o interesse dele por mim, se realmente não havia o teste que, por um ‘infortúnio’, foi cancelado”, conta.

Ela continua: “Eu não consegui prestar queixa na época. Quando finalmente elaborei os acontecimentos vividos, soube que os crimes, para a justiça, já haviam prescrito. Perdi meu direito de ter direitos sobre minhas dores. Talvez, se eu tivesse lido um relato como esse, pudesse ter compreendido melhor a situação e eles não estariam impunes”.

DENÚNCIA

14 de julho de 2020 at 08:17

Vereadora pede investigação de Zenaldo por superfaturar EPIs

Carol Menezes

Zenaldo Coutinho já gastou R$ 12 milhões em EPIs sem licitação em equipamentos

 Zenaldo Coutinho já gastou R$ 12 milhões em EPIs sem licitação em equipamentos | Irene Almeida

A vereadora Nazaré Lima (PSOL) protocolou representação contra o prefeito Zenaldo Coutinho, na última sexta-feira, 10 de julho, pedindo a apuração do Ministério Público do Estado do Pará (MP-PA) sobre as denúncias publicadas no DIÁRIO sobre o superfaturamento nos contratos 269 e 270/2020, de valores de R$ 1,748 milhão e R$ 214 mil, para a compra de 4,6 milhões de unidades de luvas de látex não cirúrgicas e de 980 mil toucas, respectivamente. Até o momento, o órgão não deu retorno sobre o pedido da parlamentar.

Nazaré, que é enfermeira e professora universitária, acompanhou de perto o drama de servidores municipais da saúde que atravessaram o pico da pandemia pela Covid-19 em Belém com dificuldade de acesso a Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), usando produtos de materiais inadequados ou por prazo além do recomendado, chegando, inclusive, a protestar em frente ao PSM da Travessa 14 de Março. “É muito estranho que, no momento em que os casos estão desacelerando na capital paraense, o prefeito compre essa quantidade exagerada de EPIs. Isso precisa ser investigado”, observa.

“Dadas as denúncias na mídia, me vi com a responsabilidade em pedir apuração visto que, como vereadora, temos a função de fiscalizar. E como enfermeira que vivenciou a situação da falta de EPIs nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e prontos-socorros, entendo que não posso me calar”, explica Nazaré.

Nazaré Lima protocolou representação contra o prefeito no Ministério Público por gastar recursos para comprar milhões de luvas e toucas

Nazaré Lima protocolou representação contra o prefeito no Ministério Público por gastar recursos para comprar milhões de luvas e toucas Divulgação/CMB 

IRREGULARIDADES

Nos últimos meses, em decorrência da pandemia de Covid-19, Coutinho já comprou sem licitação quase R$ 12,5 milhões em EPIs, os Equipamentos de Proteção Individual, para os servidores da rede municipal de Saúde. E para qualquer lado que se olhe, há indícios de irregularidades: superfaturamento, pagamento antecipado e até o superfaturamento por quantidade, que é quando se compra enorme volume de um produto, mas a empresa entrega apenas uma parte daquilo que se pagou.

OUTRA REPRESENTAÇÃO- RESPIRADORES

No último dia 30 de junho, vereador Francisco Almeida (PSOL), também deu entrada, em representação junto ao Ministério Público de Contas do Estado (MPC-PA), ao Ministério Público do Estado do Pará (MP-PA) e ao Ministério Público Federal (MPF) solicitando que sejam investigadas as denúncias de que o prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho (PSDB), teria causado prejuízos ao patrimônio público na compra de respiradores para tratamento de casos graves de Covid-19 a preços bem superiores aos praticados no mercado, com dispensa de licitação e sem contrato – algo em torno de R$ 260 mil por aparelho, conforme denúncia publicada pelo DIÁRIO.

De acordo com o que foi denunciado, os equipamentos chegaram a custar mais que o dobro de equipamentos semelhantes, comprados na mesma época, por outras prefeituras e governos. E com o agravante de terem sido adquiridos de uma empresa que nasceu como uma cafeteria e doceria, mas que hoje faz de tudo um pouco, incluindo a confecção de roupas, limpeza de casas, serviços de engenharia e até “atividades de psicanálise”.

INVESTIGAÇÃO

13 de julho de 2020 at 19:52

Médico acusado de abusar sexualmente de pacientes é preso no Pará

Agência Pará

 Freepik

Na manhã desta segunda-feira (13), a Polícia Civil, por meio da Delegacia de Tucuruí, prendeu, no município, o médico ginecologista Orlando Veiga Filho. O profissional que atua nos municípios de Breu Branco, Tucuruí e Parauapebas, é acusado de Violência Sexual Mediante Fraude. As vítimas seriam pacientes que frequentavam a clínica particular que ele presta atendimento.

O trabalho de investigação da Polícia Civil foi realizado durante a Operação Obsidere. A ação foi desencadeada a partir do registro de Boletim de Ocorrência Policial, no dia 02 de julho, na Delegacia de Breu Branco, registrado por uma mulher de 29 anos, que informou o crime durante o retorno de sua consulta ginecológica, feita, no mesmo dia, no Laboratório Biolab, pelo médico Orlando Veiga Filho.

“Importante destacar que a vítima, que não tinha experiência anterior em consulta ginecológica, já havia se sentido abusada no dia 28 de maio de 2020, em sua primeira consulta com o médico. Constatando, no segundo encontro com o médico, que havia ocorrido a conjunção carnal sem seu consentimento, ela então procurou a Unidade Policial”, informou a delegada Luiza Moema, titular da delegacia de Breu Branco.

Considerando a complexidade dos elementos que envolvem esse tipo de crime, foram rapidamente providenciados o exame pericial-sexológico da vítima, que atestou a prática de conjunção carnal recente, bem como o acompanhamento assistencial-psicológico, que constatou o seu abalo emocional. As oitivas testemunhais confirmaram, de maneira firme e coerente, a materialidade e autoria delitivas.

Durante a investigação, policiais civis receberam denúncia anônima de que o médico já havia abusado sexualmente de outras pacientes. “A autoridade policial aprofundou as investigações, e apurou que o médico já exerceu atividade em diversos estados, como Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Roraima e São Paulo, nos quais não há registro de sua especialidade como ginecologista nos Conselhos Regionais de Medicina. A investigação também apurou que, em 2011, no município de Itupiranga, ele havia abusado sexualmente de outra mulher, com o mesmo “modus operandi””, afirmou a delegada.

Com objetivo de colher depoimento testemunhal da segunda vítima, policiais de Breu Branco localizaram o paradeiro da mulher em Marabá e, prontamente, se deslocaram ao município. Lá, uma oitiva testemunhal foi realizada, como também o anexo de laudo pericial constatando a conjunção carnal em 03 de janeiro de 2011.

Diante do vasto conjunto probatório, foi feita a representação pela Prisão Preventiva de Orlando Veiga Filho perante o Poder Judiciário de Breu Branco, com parecer favorável do Ministério Público.

Operação Obsidere – A palavra assédio vem do latim Obsidere, que tem, dentre seus significados, a palavra atacar. Na língua portuguesa significa insistência inoportuna, junto de alguém, com pretensões ou outra forma de abordagem forçada e humilhante.

ASSÉDIO SEXUAL

13 de julho de 2020 at 09:52

Homem filma calcinha de mulheres com câmera instalada em sapato

Com informações de Portal de R7

Abusador instalou câmera no tênis para filmar genitálias de mulheres no metrô.

 Abusador instalou câmera no tênis para filmar genitálias de mulheres no metrô. | Foto: Divulgação/ Polícia Civil de São Paulo

Um homem foi preso, neste sábado (11), com uma microcâmera instalada na porta do tênis. Ele filmava as partes íntimas de mulheres dentro do metrô de São Paulo. 

Foto: Divulgação/ Polícia Civil de São Paulo

Foto: Divulgação/ Polícia Civil de São Paulo

De acordo com o R7, a polícia chegou até o suspeito após denúncias anônimas. Atém do dispositivo, que era alimentado por uma bateria na meia, ele carregava uma bonda com um monitor, em que verificava as gravações no momento em que eram feitas. 

Ainda segundo a publicação, o homem deverá ser autuado pelo crime de assédio assexual, que prevê multa de seis meses a um ano.