DOENÇA DA URINA PRETA

18 de setembro de 2021 at 10:52

Em Belém não há caso confirmado da Síndrome de Haff

Até o momento, não foi detectado nenhum indicativo que sugira a necessidade de restrição ao consumo de pescados em Belém.

 sábado, 18/09/2021, 08:13 – Atualizado em 18/09/2021, 09:59 –  Autor: Com informações Agência Belém


Apesar da preocupação da população, a Sesma reforça, ainda, que mantém a vigilância da doença de Haff na capital.  Apesar da preocupação da população, a Sesma reforça, ainda, que mantém a vigilância da doença de Haff na capital. | Reprodução .

Oatual cenário com relação ao consumo de peixes em Belém e pelo interior do Estado, tem diminuído a venda de pescados, tendo em vista que a maioria dos paraenses estão com medo da Síndrome de Haff, mais conhecida com a “doença da urina preta”.https://d5412a291ff058788d43eb226cbc4100.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Para esclarecer o assunto, a Prefeitura de Belém, através da Secretaria Municipal de Saúde (Sesma), informou que não há nenhum caso confirmado da síndrome de Haff na cidade. Não tendo, assim, orientação para indicar restrições ao consumo de pescado na capital.

Na última quarta-feira (15) a Divisão de Vigilância Epidemiológica e o Centro Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde de Belém receberam a informação sobre três casos suspeitos da Síndrome de Haff. Dois pacientes estavam internados em diferentes hospitais da rede privada e o terceiro internado em hospital da rede pública de Belém.

A equipe de técnicos da Sesma iniciou a investigação dos casos e constatou que apenas o paciente internado no hospital da rede pública apresentou quadro clínico e história epidemiológica compatíveis com os critérios para o diagnóstico da doença de Haff. 

Os dois outros pacientes tiveram diagnóstico médico sugestivo da doença, contudo, não apresentaram todos os critérios clínicos que definem a doença. Ainda assim, todas as amostras biológicas foram enviadas ao Laboratório Central do Estado (Lacen), que ainda não emitiu os resultados.

A Sesma reitera que continua acompanhando todos os casos notificados, bem como os familiares que relataram ingestão de pescado. Nenhum deles apresentou qualquer sinal ou sintoma da doença de Haff até o momento. 

O Departamento de Vigilância à Saúde notificou os casos ao Departamento de Vigilância Sanitária, que realizou a investigação nos estabelecimentos comerciais, com a vistoria e coleta de material para análise no Lacen.

Até o momento, não foi detectado nenhum indicativo que sugira a necessidade de restrição ao consumo de pescados em Belém. A Sesma reforça, ainda, que mantém a vigilância da doença de Haff na capital. 

Para 76%, Bolsonaro deve sofrer impeachment se desobedecer a Justiça, diz Datafolha

18 de setembro de 2021 at 09:27

No feriado de 7 de Setembro, durante ato em São Paulo, presidente disse que não cumpriria mais decisões do ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes.

Por G1

18/09/2021 07h55  Atualizado há uma hora


Pesquisa Datafolha divulgada pelo jornal “Folha de S.Paulo” neste sábado (18) aponta que para 76% dos brasileiros o presidente Jair Bolsonaro deve sofrer impeachment se descumprir ordem da Justiça. 21% disseram que ele não deve sofrer impeachment, enquanto 3% afirmaram não saber.

O Datafolha ouviu 3.667 eleitores de 13 a 15 de setembro, em 190 cidades. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou menos.

No feriado de 7 de Setembro, durante ato em São Paulo, Bolsonaro disse que não cumpriria mais decisões do ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes. “Dizer a vocês que, qualquer decisão do senhor Alexandre de Moraes, esse presidente não mais cumprirá. A paciência do nosso povo já se esgotou, ele tem tempo ainda de pedir o seu boné e ir cuidar da sua vida. Ele, para nós, não existe mais”, afirmou o presidente.

Pela Constituição brasileira, ninguém pode descumprir decisão judicial. Juristas afirmaram ver crime de responsabilidade na fala do presidente.

Dois dias depois da declaração, Bolsonaro divulgou um texto intitulado “Declaração à Nação” afirmando que nunca teve “intenção de agredir quaisquer dos poderes”.

São mais favoráveis à abertura de impeachment em caso de descumprimento de decisões os mais jovens (86% dos jovens de 16 a 24 anos), os mais pobres (82%) e aqueles que reprovam Bolsonaro (94%).

SANTA CATARINA

18 de setembro de 2021 at 08:12

PM diz odiar negros e ameaça bater em mulher

No vídeo que circula nas redes sociais ele admite ser racista e chama a mulher de macaca

 sexta-feira, 17/09/2021, 21:27 – Atualizado em 17/09/2021, 21:27 –  Autor: FOLHAPRESS DOL


Imagem ilustrativa da notícia Vídeo:
PM diz odiar negros e ameaça bater em mulher | Reprodução .

A polícia de Santa Catarina está apurando crime de racismo praticado por um policial militar da reserva que, em vídeo que circula nas redes sociais, diz ter ódio de negros, admite ser racista e chama uma mulher de macaca.

No vídeo, o homem, identificado como Hélio Martins, 57, morador de São Ludgero, a cerca de 180 km de Florianópolis, chama o filho da mulher que faz a gravação de “negro desgraçado” e “pirracento”. Ao ser questionado por ela do motivo de tanto ódio por “gente morena”, ele responde: “Porque eu tenho ódio, eu sou racista, eu não suporto negro. Eu tenho amigo negro, mas amigo descente, não essa negrada do caralho que é marrenta que nem tu”.

Em resposta ao tom agressivo do policial, a interlocutora pede que ele não bata nela. Martins então pega um chinelo nas mãos e a ameaça.

“Quer ver? Fala de novo, sua macaca do caralho, demônio desgraçado”, diz.

  

O delegado Éder Matte, responsável pela Delegacia de São Ludgero, instaurou inquérito nesta sexta-feira (17) para apurar o crime de racismo, que tem pena de reclusão de um a três anos e multa. Ainda não se sabe quando o vídeo foi gravado, mas, segundo o delegado, trata-se de um caso recente.

Apurações preliminares apontam que a mulher que fez a gravação é ex-companheira de Martins. Matte afirmou que ela não procurou a polícia e que o vídeo chegou até ele por meio de denúncias. Ele pretende ouvi-la para eventualmente iniciar também uma investigação por ameaça, já que esse crime depende de representação da vítima.

“O vídeo praticamente fala por si, falta pouca coisa para apurar”, disse o delegado.

Em nota, a Polícia Militar de Santa Catarina confirmou que o homem que aparece no vídeo é sargento da corporação e está na reserva desde março de 2016. O caso, segundo o órgão, será encaminhado à Corregedoria-Geral.

“A PMSC repudia todo e qualquer tipo de violência contra a mulher ou vulnerável, bem como qualquer tipo de racismo. Diante deste fato, a referida ocorrência deverá ser apurada com rigor por todos os processos legais”, diz a nota.

A reportagem tentou contato com Hélio Martins, mas ele não foi localizado até a publicação deste texto

É DO PARÁ!

17 de setembro de 2021 at 16:50

Alter do Chão concorre a Melhor Destino Turístico no Brasil

A votação vai até o dia 20 de setembro no site da UPIS

 sexta-feira, 17/09/2021, 15:45 – Atualizado em 17/09/2021, 15:45 –  Autor: DOL

Foto Google.


 

Alter do Chão, no Pará, ganhou fama e destaque mundial em 2009 depois de ter sido eleita pelo jornal The Guardian como um dos mais belos destinos turísticos no Brasil, à frente de paraísos como Fernando de Noronha e Alagoas.

O município paraense possui inúmeras ilhas e extensas faixas de areia branca banhadas pelas águas cristalinas esverdeadas do rio Tapajós, cenário que se forma no período da vazante do rio (entre agosto e fevereiro).

Agora, Alter do Chão está concorrendo ao Prêmio UPIS de Turismo na categoria Melhor Destino Turístico Nacionais em 2021.  A votação vai até o dia 20 de setembro. O resultado final será divulgado no dia 27 deste mês no site da UPIS.

Então, vamos votar bastante para que o nosso Caribe da Amazônia ganhe mais um reconhecimento e para que ainda mais turistas venham visitar e se encantar com as belezas do nosso município. 

MANUTENÇÃO

17 de setembro de 2021 at 15:53

Falta de água atingirá 180 mil em Belém nesta sexta (17)

Cosanpa publicou aviso sobre manutenção emergencial na rede que atende a cinco bairros da capital

 sexta-feira, 17/09/2021, 12:40 – Atualizado em 17/09/2021, 13:12 –  Autor: DOL


Previsão é de normalização no abastecimento a partir das 5h de sábado (18) Previsão é de normalização no abastecimento a partir das 5h de sábado (18) | Luis Quintero .

Os trabalhos de manutenção do sistema de água continuam em vários setores da capital paraense. Os motivo são a ampliação e troca do sistema antigo..

Em razão desses serviços, moradores dos bairros São Brás, Fátima, Canudos e partes do Marco e Pedreira, em Belém, terão o abastecimento de água interrompido pela Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa) a partir das 22h desta sexta-feira (17), devido a serviços de manutenção emergencial no sistema que atende a área.

A previsão é de que o trabalho seja concluído até as 5h de sábado (18) e que, gradativamente, o abastecimento seja restabelecido.

O número de habitantes desses bairros totaliza mais de 181.777 pessoas, segundo o Anuário Estatístico de Belém 2020.

Lobista cobrava por indicação a cargo no governo e por contato de pessoas próximas de Bolsonaro, segundo CPI

17 de setembro de 2021 at 14:13
TOPO

Por Octavio Guedes

Comentarista de política da GloboNews e eterno repórter. Participa do Estúdio I, Em Ponto e Edição das 10h

Caso foi descoberto pela CPI da Covid em mensagens trocadas por Marconny Albernaz, que depôs na comissão do Senado na quarta-feira (15).

17/09/2021 09h37  Atualizado há 3 horas


Octavio Guedes: Marconny cobrava R$ 400 mil por vaga no governo Bolsonaro

Octavio Guedes: Marconny cobrava R$ 400 mil por vaga no governo Bolsonaro.

A mamata não acabou. No governo Bolsonaro, ela é tabelada. A CPI da Covid descobriu que o lobista Marconny Albernaz Faria “vendeu” por R$ 400 mil a indicação de Márcio Roberto Teixeira Nunes para um cargo no Instituto Evandro Chagas, no Pará, órgão vinculado ao Ministério da Saúde.

Márcio fez os pagamentos para a empresa de Marconny, foi nomeado e acabou preso num escândalo de propinas que envolveu R$ 1,6 milhão.

O esquema funcionou assim: Marconny inicialmente pediu uma propina que chamou de “incentivo” no valor de R$ 25 mil. Só para iniciar os trabalhos.

Inicialmente, Marconny tentou levar o nome de Márcio ao ex-ministro da saúde, Luiz Henrique Mandetta. Não deu certo. Mandetta vetou a indicação.

Marconny não desistiu e a conta da propina começou a subir. Ele passou a cobrar por encontros que tinha com outros ministros, inclusive os militares. Até o nome do vice-presidente Hamilton Mourão ele usou para convencer Márcio a fazer os desembolsos.

Marconny Albernaz, apontado como lobista da Precisa, depôs à CPI na quarta (15) — Foto: Fátima Meira/Futura Press/Estadão Conteúdo

Marconny Albernaz, apontado como lobista da Precisa, depôs à CPI na quarta (15) — Foto: Fátima Meira/Futura Press/Estadão Conteúdo.

Quando todas as portas pareciam fechadas, Marconny escreveu: “Agora vai de cima pra baixo”. Foi quando entrou em cena Karina Kufa, advogada do presidente da República. Para encontrar a advogada, Marconny cobrou um incentivo de R$ 40 mil, segundo mensagens trocadas por WhatsApp.

Marconny também avisou que se encontraria com o próprio presidente, mas a reunião não aconteceu. Segundo o lobista, Bolsonaro tinha outra agenda, a posse de uma autoridade em Itaipu que Marconny diz ter indicado.

Marconny Albernaz fala sobre sua relação com Jair Renan Bolsonaro: 'Amizade'

Marconny Albernaz fala sobre sua relação com Jair Renan Bolsonaro: ‘Amizade’

A CPI já sabe que, além de Karina, Marconny tinha outras duas pontes com o governo: a família Bolsonaro (através do filho Jair Renan e da ex-mulher de Bolsonaro, Ana Cristina Siqueira Valle) e um senador cujo nome não revelou.

“Não revelou, mas a CPI, com certeza, vai chegar a este nome”, garante o vice-presidente da comissão, Randolfe Rodrigues.

“Não há espaço para terceira via”, diz Lula

17 de setembro de 2021 at 13:31

Por Marília Sena congressoemfoco Em 17 set, 2021 – 12:02 Última Atualização 17 set, 2021 – 12:20Eleições 2022Compartilhar

Lula vence em todos os cenários, conforme pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira Ricardo Stuckert/Instituto Lula Ricardo Stuckert/Instituto Lula

O ex-presidente  Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta sexta-feira (17) que não há espaço para a terceira via nas disputas eleitorais de 2022. “A terceira via tem que me derrotar no primeiro turno, ou derrotar o Bolsonaro no primeiro turno. Não há espaço para terceira via se não houver uma mudança brusca no espaço político nacional”, disse o ex-presidente em entrevista à Rádio Sagres, de Goiânia. 

Questionado sobre os efeitos das manifestações promovidas pelo Movimento Brasil Livre no último domingo (12),que busca viabilizar a terceira via nas eleições de 2022, o petista afirmou que nunca acreditou na capacidade de mobilização do MBL. Segundo ele, Bolsonaro ainda tem uma base de apoio considerável. Por isso, na avaliação dele, a disputa tende a ficar entre os dois.

“Eu penso que nós estamos caminhando para uma disputa política entre o PT representando setores democráticos da sociedade, e o Bolsonaro representando setores fascistas da sociedade”, afirmou.

O ex-presidente afirmou que os partidos não devem formar uma frente ampla com o propósito de destituir apenas a figura política de Bolsonaro. Na avaliação dele, o movimento deve retirar do poder um programa de “destruição da política econômica brasileira” e colocar em seu lugar outro modelo que seja capaz de “reconstruir o Brasil”. “Se a frente ampla for apenas tirar o Bolsonaro e manter o Guedes, para que essa frente ampla? Para manter tudo como estar? Para manter o povo esquecido? Para manter o povo passando fome?”Leia mais

Lula também disse não acreditar na veracidade da nota assinada por Bolsonaro, em costura com o ex-presidente Michel Temer, para arrefecer a crise entre os Três Poderes após as manifestações do dia Sete de Setembro. Na análise dele, o presidente assinou a nota porque estava “muito desmoralizado e fragilizado”.

“Eu não sei se alguém acreditou na nota feita pelo Temer para o Bolsonaro, não sei se alguém acreditou que o Bolsonaro estava falando sério. Na verdade, o Bolsonaro assinou aquela  carta apenas numa demonstração da fragilidade dele, pela falta de um comportamento de um presidente da República”, disse.

Para Lula, alguém disse para  Bolsonaro que as provocações do presidente ao Supremo Tribunal Federal (STF) “eram demais “.  “Disseram para ele, olha, você  está provocando um ministro da Suprema Corte que está com um processo do teu filho, da tua família, é importante que você faça uma mediação. Como ele estava muito desmoralizado e fragilizado, ele assinou”, disse. 

Lula lidera todos os cenários, em primeiro e segundo turno, traçados em pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta. Ele derrotaria Bolsonaro com ampla vantagem, segundo o instituto. Ainda na entrevista à Sagres, o ex-presidente minimizou o resultado da pesquisa. De acordo com Lula, o levantamento é apenas um “retrato do momento” e os números serão, de fato, relevantes quando a campanha eleitoral começar.

VOLTA DAS TORCIDAS

17 de setembro de 2021 at 11:31

Prefeitura de Belém libera 30% do público nos estádios 

Maurício Ettinger, Fábio Bentes e Gracite Maués estavam presentes na reunião.

 sexta-feira, 17/09/2021, 11:01 – Atualizado em 17/09/2021, 11:24 –  Autor: Lucas Contente DOL


Estádios poderão receber 30% de sua capacidade Estádios poderão receber 30% de sua capacidade | Reprodução/Prefeitura.

Na manhã desta sexta-feira (17), após criticas dos dois principias clubes da cidade sobre a liberação de apenas 20% da capacidade dos estádios de futebol, a Prefeitura Municipal de Belém, convocou reunião com os presidentes dos clube da capital. 

Após a conversa entre prefeito e os clubes, ficou decidido que os estádios terão sua capacidade de 30% disponíveis para torcedores, voltando atrás na decisão inicial, de somente 20%.

Além disso, para entrar nos locais, será preciso a comprovação da vacinação com as duas doses. De acordo com a reunião, a volta acontecerá aos poucos.

Na última quarta-feira (15), o presidente do Clube do Remo, Fábio Bentes convocou coletiva de imprensa para falar sobre a atual situação do Leão. Um dos pontos mais discutidos, foi a liberação de somente 20% do público, na ocasião, o mandatário azulino não se mostrou nada satisfeito com a decisão

“Me causou muita surpresa o decreto municipal liberando 20%. Havia um decreto anterior do governo do estado baseado em um estudo, levando a taxa de ocupação de leito e da pandemia em Belém. Esse estudo propunha, dentro dos critérios adotados, a liberação entre 30% e 50%. O governo, nesse primeiro momento, optou por 30%. É um percentual que não traria grande retorno, mas que seria viável”, falou.

Em Belém, desde 18 de janeiro de 2021 até ontem, 16, foram aplicadas 1.500.085 doses de vacinas contra a covid-19. Destas, 978.483 pessoas já se vacinaram com a primeira dose e 521.602 com a segunda, segundo dados do site Belém Vacinada.

A data de retorno ainda está sendo discutida, e, posteriormente, será divulgada.

Datafolha: Lula segue à frente de Bolsonaro e, no 2º turno, tem 56% contra 31%

17 de setembro de 2021 at 10:00

A pesquisa ouviu 3.667 pessoas entre os dias 13 e 15 de setembro em 190 cidades brasileiras. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos, dentro do nível de confiança de 95%.

Por G1

17/09/2021 05h59  Atualizado há 15 minutos


Datafolha: Lula segue à frente de Bolsonaro e, no 2º turno, tem 56% contra 31%

Datafolha: Lula segue à frente de Bolsonaro e, no 2º turno, tem 56% contra 31%

Pesquisa do instituto Datafolha divulgada nesta sexta-feira (17) pelo site do jornal “Folha de S.Paulo” revela os índices de intenção de voto para a eleição presidencial de 2022. Lula manteve a liderança em relação a Bolsonaro. No segundo turno, o ex-presidente tem 56% contra 31%. Lula também ganha nas simulações de disputa com os outros candidatos no segundo turno. Já Bolsonaro perde nos cenários pesquisados.

A pesquisa ouviu 3.667 pessoas entre os dias 13 e 15 de setembro em 190 cidades brasileiras. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos, dentro do nível de confiança de 95%.

Pesquisa estimulada de intenções de voto no 1º turno

CENÁRIO A

  • Lula (PT): 44% (46% na pesquisa anterior)
  • Jair Bolsonaro (sem partido): 26% (25% na pesquisa anterior)
  • Ciro Gomes (PDT): 9% (8% na pesquisa anterior)
  • João Doria (PSDB): 4% (5% na pesquisa anterior)
  • Luiz Henrique Mandetta (DEM): 3% (4% na pesquisa anterior)
  • Em branco/nulo/nenhum: 11% (10% na pesquisa anterior)
  • Não sabe: 2% (2% na pesquisa anterior)

https://datawrapper.dwcdn.net/dDFN4/1/

CENÁRIO B

  • Lula (PT): 42 (46% na pesquisa anterior)
  • Jair Bolsonaro (sem partido): 25% (25% na pesquisa anterior)
  • Ciro Gomes (PDT): 12% (9% na pesquisa anterior)
  • Eduardo Leite (PSDB): 4% (3% na pesquisa anterior)
  • Luiz Henrique Mandetta (DEM): 2% (5% na pesquisa anterior)
  • Em branco/nulo/nenhum: 11% (10% na pesquisa anterior)
  • Não sabe: 2% (2% na pesquisa anterior)

https://datawrapper.dwcdn.net/A2T69/1/

CENÁRIO C

  • Lula (PT): 44%
  • Jair Bolsonaro (sem partido): 26%
  • Ciro Gomes (PDT): 11%
  • João Doria (PSDB): 6%
  • Em branco/nulo/nenhum: 11%
  • Não sabe: 1%

https://datawrapper.dwcdn.net/pxJdM/1/

CENÁRIO D

  • Lula (PT): 42%
  • Jair Bolsonaro (sem partido): 24%
  • Ciro Gomes (PDT): 10%
  • João Doria (PSDB): 5%
  • José Luiz Datena (PSL): 4%
  • Simone Tebet (MDB): 2%
  • Aldo Rebelo (sem partido): 1%
  • Rodrigo Pacheco (DEM): 1%
  • Alessandro Vieira (Cidadania): 0%
  • Em branco/nulo/nenhum: 10%
  • Não sabe: 2%

Pesquisa estimulada de intenção de voto

Cenário D (em %)Lula (PT)Jair Bolsonaro (SEM PARTIDO)Ciro Gomes (PDT)João Doria (PSDB)José Luiz Datena (PSL)Simone Tebet (MDB)Aldo Rebelo (sem partido)Rodrigo Pacheco (DEM)Alessandro Vieira (Cidadania)Em branco/nulo/nenhum Não sabe Lula (PT)42%Jair Bolsonaro (SEM PARTIDO)24%Ciro Gomes (PDT)10%João Doria (PSDB)5%José Luiz Datena (PSL)4%Simone Tebet (MDB)2%Aldo Rebelo (sem partido)1%Rodrigo Pacheco (DEM)1%Alessandro Vieira (Cidadania)0%Em branco/nulo/nenhum10%Não sabe2%Gráfico: Arte G1  Fonte: Instituto Datafolha

Pesquisa espontânea de intenções de voto no 1º turno

  • Lula (PT): 27% (26% na pesquisa anterior)
  • Jair Bolsonaro (sem partido): 20% (19% na pesquisa anterior)
  • Ciro Gomes (PDT): 2% (2% na pesquisa anterior)
  • Outros: 3% (2% na pesquisa anterior)
  • Em branco/nulo/nenhum: 10% (7% na pesquisa anterior)
  • Não sabe: 38% (42% na pesquisa anterior)

https://datawrapper.dwcdn.net/Mrxc1/2/

Veja, abaixo, simulações de 2º turno:

Intenção de voto no 2º turno em uma disputa entre Lula e Bolsonarohttps://ca8b8dfa0304a1031a0bc2b17d58d6d2.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

  • Lula (PT): 56% (58% na pesquisa anterior)
  • Bolsonaro (sem partido): 31% (31% na pesquisa anterior)
  • Em branco/nulo/nenhum: 13% (10% na pesquisa anterior)
  • Não sabe: 1% (1% na pesquisa anterior)

https://datawrapper.dwcdn.net/qDN0u/3/

Intenção de voto no 2º turno em uma disputa entre Lula e Doria

  • Lula (PT): 55% (56% na pesquisa anterior)
  • Doria (PSDB): 22% (23% na pesquisa anterior)
  • Em branco/nulo/nenhum: 22% (20% na pesquisa anterior)
  • Não sabe: 1% (1% na pesquisa anterior)

Intenção de voto no 2º turno em uma disputa entre Bolsonaro e Ciro

  • Ciro (PDT): 52% (50% pesquisa anterior)
  • Bolsonaro (sem partido): 33% (34% na pesquisa anterior)
  • Em branco/nulo/nenhum: 15% (15% na pesquisa anterior)
  • Não sabe: 1% (1% na pesquisa anterior)

https://datawrapper.dwcdn.net/h6k3N/2/https://ca8b8dfa0304a1031a0bc2b17d58d6d2.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Intenção de voto no 2º turno em uma disputa entre Bolsonaro e Doria

  • Doria (PSDB): 46% (46% na pesquisa anterior)
  • Bolsonaro (sem partido): 34% (35% na pesquisa anterior)
  • Em branco/nulo/nenhum: 19% (18% na pesquisa anterior)
  • Não sabe: 1% (1% na pesquisa anterior)

https://datawrapper.dwcdn.net/Em51K/1/

Intenção de voto no 2º turno em uma disputa entre Ciro Gomes e Lula

  • Lula (PT): 51%
  • Ciro gomes (PDT): 29%
  • Em branco/nulo/nenhum: 19%
  • Não sabe: 1%

A pesquisa também apontou os índices de rejeição. Veja abaixo:

Índice de rejeição:

  • Jair Bolsonaro: 59% (59% na pesquisa anterior)
  • Lula: 38% (37% na pesquisa anterior)
  • João Doria: 37% (37% na pesquisa anterior)
  • Ciro gomes: 30% (31% na pesquisa anterior)
  • José Luiz Datena: 19% (não incluído na pesquisa anterior)
  • Eduardo Leite: 18% (21% na pesquisa anterior)
  • Luiz Henrique Mandetta: 18% (23% na pesquisa anterior)
  • Rodrigo Pacheco: 17% (não incluído na pesquisa anterior)
  • Aldo Rebelo: 15% (não incluído na pesquisa anterior)
  • Alessandro Vieira: 14% (não incluído na pesquisa anterior)
  • Simone Tebet: 14% (não incluído na pesquisa anterior)
  • Rejeita todos/não votaria em nenhum: 2% (2% na pesquisa anterior)
  • Votaria em qualquer um/não rejeita nenhum: 1% (2% na pesquisa anterior)
  • Não sabe: 1% (2% na pesquisa anterior)

Nesse ponto, o entrevistado pode responder mais de um candidato, por isso a soma entre todos os índices não resulta em 100%. A pergunta do instituto é: “Em quais desses possíveis candidatos (o cartão é mostrado) você não votaria de jeito nenhum no primeiro turno da eleição para presidente da República em 2022? E qual mais?”

Bolsonaro tem altos índices de rejeição entre estudantes (73%) e evangélicos (44%). Lula é mais rejeitado entre os preferem o PSDB (74%) e ente homossexuais/bissexuais (16%). Doria é tem altos índices de rejeição entre os que ganham mais de 10 salários mínimos (45%) e entre as donas de casa (26%. Ciro Gomes é mais rejeitado entre os que preferem outro partido que não seja PT, PSDB, MDB e PSol (36%) e entre moradores do Sul (22%)

Entre aqueles que votaram em Bolsonaro em 2018, 26% dizem rejeitar seu nome para a disputa presidencial de 2022, e 68% não votariam de jeito nenhum em Lula.

Bolsonaro assina decreto e eleva alíquota do IOF até dezembro para custear novo Bolsa Família

17 de setembro de 2021 at 01:09

Mudança vai gerar arrecadação adicional de R$ 2,14 bilhões para pagar novo valor de benefício, diz governo. Nova alíquota não foi divulgada e decreto ainda não saiu no ‘Diário Oficial’.

Por Pedro Henrique Gomes e Mateus Rodrigues, G1 — Brasília

16/09/2021 19h27  Atualizado há 3 horas


Bolsonaro assina decreto com aumento do IOF

O presidente Jair Bolsonaro assinou decreto para elevar, até o fim de 2021, a alíquota do IOF –Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro ou relativas a Títulos ou Valores Mobiliários. O dinheiro arrecadado será usado para custear o Auxílio Brasil, programa proposto pelo governo para substituir o Bolsa Família.

A informação foi divulgada pelo Palácio do Planalto. Ao definir a mudança por decreto, Bolsonaro evita que o tema seja analisado pelo Congresso Nacional.

Segundo o governo, a alta do IOF valerá para operações de crédito de pessoas físicas e de empresas. A mudança vigorará entre a próxima segunda (20) e o dia 31 de dezembro.

O IOF é apurado diariamente. Pelas regras atualmente em vigência, a cobrança máxima do tributo é de 3% ao ano para pessoa jurídica e de 6% para pessoa física.

De acordo com informações do Ministério da Economia, as novas alíquotas serão as seguintes:

NOVAS ALÍQUOTAS DO IOF

Alíquota diária atualAlíquota anual atualNova alíquota diáriaNova alíquota anual
PESSOA JURÍDICA0,0041%1,50%0,00559%2,04%
PESSOA FÍSICA0,0082%3,0%0,01118%4,08%

Fonte: Ministério da Economiahttps://07ced10b27e8e117aa82b3566b8a9f54.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Motivos

Em nota, o Ministério da Economia informou que a medida de elevar o IOF compensará o acréscimo de R$ 1,62 bilhão previsto com a criação do Auxílio Brasil.

“A decisão foi tomada em razão da observância das regras fiscais. Apesar de arrecadação recorde, a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) determina que é necessária a indicação de fonte para o aumento de despesa obrigatória. A instituição do programa social Auxílio Brasil, acarretará um acréscimo na despesa obrigatória de caráter continuado em R$ 1,62 bilhão neste ano”, diz o texto da nota.

Para 2022, a intenção é financiar o programa com a recriação do imposto de renda sobre lucros e dividendos, proposta que tramita no Senado.

Sardenberg sobre aumento no IOF: ‘É ruim para uma economia que precisa de mais crédito para crescer’

Sardenberg sobre aumento no IOF: ‘É ruim para uma economia que precisa de mais crédito para crescer’

“A arrecadação obtida com a medida custeará ainda as propostas de redução a zero da alíquota da contribuição para o PIS/Cofins incidente na importação de milho, com impacto de R$ 66,47 milhões no ano de 2021 e o aumento do valor da cota de importação pelo CNPq, que acarreta renúncia fiscal no valor de R$ 236,49 milhões no ano de 2021”, informou a Economia.

Auxílio Brasil

De acordo com o governo, a alta do IOF permitirá uma arrecadação extra de R$ 2,14 bilhões para custear o novo Bolsa Família. Bolsonaro já enviou uma medida provisória sobre o novo programa ao Congresso, mas ainda não divulgou qual será o valor das parcelas pagas aos beneficiários.

A implementação do Auxílio Brasil em 2021, no entanto, deve custar mais que os R$ 2,14 bilhões a serem arrecadados com o IOF. Em agosto, o secretário especial do Tesouro e Orçamento do Ministério da Economia, Bruno Funchal, projetou custo adicional de R$ 26 bilhões a R$ 28 bilhões para o programa em 2022 – entre R$ 2,17 e R$ 2,33 bilhões mensais.

“A medida irá beneficiar diretamente cerca de 17 milhões de famílias e é destinada a mitigar parte dos efeitos econômicos danosos causados pela pandemia”, diz material divulgado pela Secretaria-Geral da Presidência da República.

VÍDEO: Veja as diferenças entre o Bolsa Família e o Auxílio Brasil

VÍDEO: Veja as diferenças entre o Bolsa Família e o Auxílio Brasil

IOF zerado em 2020

Entre abril e dezembro de 2020, motivado pelo impacto inicial da pandemia de Covid na economia brasileira, o governo zerou a alíquota do IOF até o fim do ano.

Desde 1º de janeiro deste ano, no entanto, a co