SAIBA MAIS!

9 de junho de 2021 at 23:25

Água transborda de eclusa em Tucuruí e assusta moradores

Vídeo mostra o momento em que a água jorra pela imensa barragem, assustando quem estava próximo

 quarta-feira, 09/06/2021, 20:37 – Atualizado em 09/06/2021, 20:37 –  Autor: DOL


Imagens da enxurrada assustaram moradores Imagens da enxurrada assustaram moradores | Reprodução

Um simples vídeo de pouco mais de 20 segundos, mostrando uma enxurrada caindo pelas resistentes e gigantes barragens de uma eclusa em Tucuruí, sudeste paraense, foi capaz de provocar pânico e histeria depois de ter circulado nas redes sociais nas últimas horas.

O conteúdo, que viralizou nesta quarta-feira (9), mostra uma área isolada na pista enquanto, do outro lado, durante a passagem de alguns carros na pista, é possível ver a água jorrando pela imensa barragem. O autor do registro comenta espantado: “Como assim? O que é aquilo? Do nada começou a cair água ali”, diz surpreso.

PUBLICIDADE

Imediatamente viralizaram fake news sobre um possível rompimento da barragem, assustando quem vive próximo, além de amigos e familiares que tentavam entender o que acontecia. A verdade? Nada mais era do que uma manutenção rotineira sendo realizada.

O coordenador das eclusas de Tucuruí, Raphael Soares, garantiu que a população local pode ficar tranquila, pois se trata de um procedimento normal. Ao DOL, ele explicou também o que provocou a saída da água daquela forma, uma vez que, apesar de ter sido pouca, quem via de fora poderia se assustar.

“Durante testes operacionais de rotina na comporta de enchimento da ‘eclusa 1’ ocorreu o transbordamento da câmara. Esse fenômeno é chamado ‘transiente hidráulico’ e, apesar de ser possível de acontecer, já que essa câmara tem a função de uma chaminé de equilíbrio, é algo raro e só acontece quando os rios estão cheios a comporta está com abertura total”, explicou.

https://fast.player.liquidplatform.com/pApiv2/embed/ddf6becdb117f378cf06db723585ea78/23a2c18ee69a68902e36acdf78b25486

Soares tranquilizou a população local e garantiu que não existe qualquer risco de rompimento ou dano às estruturas durante as manutenções, que são feitas semanal ou mensalmente a depender dos tipos de equipamentos vistoriados.

“Não existe qualquer risco estrutural ou funcional da eclusa e não ocorrerá novamente, já que o teste tinha como objetivo a regulagem da abertura da comporta”. E afirmou: “ressalta-se também que o volume transbordou para dentro do canal intermediário e não trouxe nenhum impacto para áreas externas”.