41% usam veículos jornalísticos na internet para ler notícias

16 de outubro de 2020 at 08:18

TVs e rádios são preferidos por 27%

Jornais e revistas têm apenas 13%

16% se informam em redes sociais

Internauta utiliza aplicativo para celular. PoderData mostra que meios digitais (redes sociais + veículos on-line) superam os tradicionais na preferência por informaçãoSérgio Lima/Poder360

PODER360
16.out.2020 (sexta-feira) – 6h00

Pesquisa PoderData mostra que 41% dos brasileiros usam veículos jornalísticos na internet como principais meios para se manter informado. Outros 27% citam a televisão e o rádio como a melhor forma para tal.

Redes sociais foram escolhidas por 16% dos entrevistados. Jornais e revistas, por 13%.

Como mostra o infográfico acima, hoje, cerca de 4 em cada 10 brasileiros se informam por canais de notícias on-line. Segundo o IBGE, em 2009, esse cenário seria verossímil. Apenas 27% dos domicílios tinham acesso à internet. Em 2018, o percentual chegou a 79%.

A pesquisa, que indica como os brasileiros se informam, foi realizada pelo PoderDatadivisão de estudos estatísticos do Poder360. A divulgação do levantamento é feita em parceria editorial com o Grupo Bandeirantes.

Os dados foram coletados de 12 a 14 de outubro, por meio de ligações para celulares e telefones fixos. Foram 2.500 entrevistas em 503 municípios, nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais. Saiba mais sobre a metodologia lendo este texto.

MEIOS DE SE INFORMAR X AVALIAÇÃO DE BOLSONARO

Os opositores do presidente da República (que avaliam-o como “ruim” ou “péssimo“) preferem se informar por meio de veículos digitais de informação. Quase metade (49%) desse grupo fez essa afirmação.

Já entre os que acham o trabalho de Bolsonaro “ótimo” ou “bom”, 22% disseram que as redes sociais são seus principais meios para se informar. O percentual é maior do que a média geral.

PODERDATA

O conteúdo do PoderData pode ser lido nas redes sociais, onde são compartilhados os infográficos e as notícias. Siga os perfis da divisão de pesquisas do Poder360 no Twitter, no Facebook, no Instagram e no LinkedIn.