Pesquisa feita nas feiras mostra onde os peixes estão mais baratos em Belém

11 de março de 2019 at 07:59

Pesquisa feita nas feiras mostra onde os peixes estão mais baratos em Belém (Foto: Mauro Ângelo)

Boxes das feiras de Belém estão abastecidos com as mais variadas espécies de peixes (Foto: Mauro Ângelo)

A pouco mais de um mês da Semana Santa, os balcões do Mercado de Peixe do Ver-o-Peso, em Belém, já estão recheados com os mais variados tipos de pescado. Entre os peixes mais vistos nos diferentes boxes estavam a dourada, o filhote e a pescada amarela. Dependendo do tamanho e do tipo de peixe escolhido, os preços variavam de R$6 a R$30 o quilo.

Principal ponto de chegada do pescado que abastece Belém, o Ver-o-Peso é o local escolhido pelo analista de sistemas, Luiz Afonso Pricken, 56 anos, para comprar o produto. Por enquanto, o analista avalia que os preços cobrados pelo pescado estão acessíveis, mas estima que devam ficar mais elevados à medida em que a Semana Santa se aproximar. “Se a pessoa tiver essa possibilidade, o ideal seria comprar agora, que está com um preço bom, e congelar para comer na Semana Santa”, sugeriu. “É bom antecipar porque na véspera vai ficar mais caro, com certeza”.

Na manhã do último sábado (9), ele ainda se ocupava em comprar o pescado que será consumido no dia a dia. Nas sacolas, ele levava 7 kg de pescada branca, 2 kg de gurijuba, 2 kg de camarão e 1 kg de caranguejo. “Na minha casa isso dura 15 dias. Nós consumimos bastante peixe”.

Dentro do próprio Mercado de Peixe do Ver-o-Peso, os preços cobrados pelos diferentes tipos de peixe variavam bastante, dependendo do tamanho. Era possível comprar dourada por R$8, R$10, R$14 e até por R$18 o quilo. A gurijuba também apresentava variação, dependendo do box era possível comprá-la por R$5 ou R$10 o quilo. Já o filhote era vendido por R$25 e por R$30 o quilo dos filhotes maiores.


(Foto: Mauro Ângelo/Diário do Pará)

SEMANA SANTA

Para o peixeiro Waldir Oliveira, 29 anos, os preços oferecidos ainda estão dentro da média normal. Ele conta que, como o Ver-o-Peso recebe peixe todos os dias, não tem o hábito de formar estoque para o período da Semana Santa. “Não dá pra gente saber como vai ficar a Semana Santa ainda porque só compramos no dia. Por enquanto está tudo normal”, comentou, se referindo tanto ao preço, quanto à quantidade de pescado disponível. “Agora que acabou o defeso, vai começar a aparecer muito peixe”.

Em duas outras grandes feiras de Belém, no Mercado de São Brás e na Feira da 25, o pescado também era farto no último sábado. O que se observou, porém, foi uma grande variação de preço entre uma e outra feira. Entre os preços pesquisados, a maior variação ficou no preço do quilo do tambaqui. Enquanto o tambaqui era vendido a R$10 o quilo no Ver-o-Peso, o preço cobrado na Feira da 25 era R$25, uma variação de R$15.

O preço da dourada também apresentou uma variação considerável. No Ver-o-Peso era possível comprar o quilo de R$8 a até R$18. Já na Feira de São Brás o quilo era vendido a partir de R$15 a até R$17. E na Feira da 25, o quilo da dourada custava R$22.

Entre os peixes pesquisados, o que apresentou o menor preço foi a gurijuba, encontrada até por R$5 o quilo no Ver-o-Peso. O mais caro foi o filhote que, inclusive, apresentou a menor variação de preço entre as feiras. Na da 25 e na Feira de São Brás o quilo era vendido por R$30. Já no Ver-o-Peso era possível encontrar filhote do menor tamanho por R$25 e o maior também por R$30.

(Cintia Magno/Diário do Pará)